Monthly Archives: Junho 2015

Ouse sonhar! Ouse realizar!

Ouse sonhar! Ouse realizar!

*Éber Sander

Certa vez um jovem negro, nascido no Hawai e de sobrenome árabe disse a sua avó que desejava tornar-se o presidente dos Estados Unidos da América.

No alto de sua sabedoria e experiência a avó disse ao seu neto: “Sim, você consegue. Vá em frente”.

Anos mais tarde o jovem negro, nascido no Hawai e de sobrenome árabe tornara-se o primeiro presidente negro dos Estados Unidos da América com o slogan de campanha: “Yes, we can”.

Fico imaginando como seria se ao invés de encorajar o neto a avó dissesse o contrário, como seria se ao invés de incentivá-lo tivesse pontuado uma a uma as dificuldades que o neto encontraria pela frente para tornar o seu sonho realidade.

Quantas são as pessoas que te incentivam? Quantas são as pessoas que dizem “vá em frente, prossiga”?

A maioria das pessoas não conseguem realizar seus sonhos e insistem em frustrar os sonhos dos outros.

Certamente você conhece Bob Richards, ganhador de diversas medalhas olímpicas. Em seu livro “O coração de um campeão” Bob narra uma história que aconteceu com Charley Paddock.

Certa vez, Paddock ministrava uma palestra em um ginásio de Cleveland e em dado momento da palestra disse:

-Quem sabe, talvez haja aqui alguém que um dia vá ganhar provas numa olimpíada.

Ao final da apresentação aproximou-se de Paddock um jovem negro e lhe disse com certa vergonha:

-Eu daria tudo para ganhar uma corrida importante algum dia.

Eis que Paddock olhando fundo nos olhos do jovem disse:

-E você pode, meu filho. Basta que faça disso a sua meta de vida e dê tudo de si para alcançá-la.

No ano de 1936, aquele jovem, cujo nome é Jessie Owens, ganhou diversas medalhas de ouro nas olimpíadas de Berlim quebrando diversos recordes e deixando Adolf Hitler furioso.

Quando voltou para os Estados Unidos foi ovacionado nas ruas enquanto desfilava em carro aberto. Nesse dia, um outro jovem negro conseguiu chegar perto de Jessie Owens e disse:

-Eu gostaria muito de correr numa olimpíada quando crescer!

Jessie Owens lembrou do que havia lhe acontecido no passado, apertou firme a mão do jovem e lhe disse:

-Sonhe alto meu filho. E dê tudo de si para chegar lá!

No ano de 1948, Harrison Dillard, o jovem que ouviu de Jessie Owens para sonhar alto, ganhava medalhas de ouro nos jogos olímpicos daquele ano.

Há quantas andam os seus sonhos? Ainda pensa em abrir aquela empresa? Ainda pensa em cursar aquela faculdade? Ainda sonha com aquela casa? Ainda pensa em escrever aquele livro? Ainda pensa em formar aquela banda? Ainda pensa em pintar aquele quadro?

Muitos profetizarão o seu fracasso, mas não lhes dê ouvidos. Siga em frente! Prossiga! Dê o melhor de si! Ouse sonhar e ouse realizar o seu sonho! O mundo pertence aqueles que acreditam e não desistem dos seus sonhos.

*Éber Sander autor dos livros “Perguntas Indiscretas” e “Eu morri faz tempo”

Anúncios

1 Comentário

Filed under 1

Desista de desistir!

Desista de desistir!

*Éber Sander

Há uma frase de Wolf J. Rinke que diz: “Para dobrar o índice de sucessos, triplique seu índice de fracassos”.

Há três grupos de pessoas: as que não se arriscam a nada e portanto não tem fracassos mas também não conhecem a vitória; as que se arriscam e no primeiro fracasso desistem de continuar lutando e um terceiro grupo de pessoas que se arriscam sem medo, que ousam sair da zona de conforto e do lugar comum. As pessoas desse último grupo fracassam muitas vezes, porém, podem saborear o doce gosto da vitória depois de tanto lutarem. São pessoas que não se assustam com os “nãos” que recebem da vida e seguem firme na jornada rumo ao sucesso.

Woody Allen, escritor, ator, produtor e diretor premiado e reconhecido pela academia, quando esteve na universidade teve seu trabalho cinematográfico rejeitado. O autor de “Exodus” foi reprovado no colégio por três vezes.

No ano de 1944, Emmeline Snively, na época diretor da agência de modelos “Livro Azul” disse para a candidata a modelo Norma Jean Baker: “Você estará melhor se cursar secretariado ou então arrume um marido”. Talvez você não a conheça como Norma Jean Baker mas sim como Marilyn Monroe, uma mulher a frente de seu tempo.

No ano de 1940, um jovem inventor cujo nome era Chester Carlson apresentou sua ideia para nada menos que 20 empresas, todas elas, uma a uma, rejeitaram o projeto de Chester. Em 1947, sete anos após as rejeições ele finalmente conseguiu que uma pequena empresa comprasse sua ideia. A empresa comprou os direitos para industrializar o processo eletrostático para a reprodução de cópias. A empresa chamada Haloid, mais tarde veio a se chamar Xerox Corporation e tanto Chester Carlson como a Xerox ficaram milionários.

Thomas Edison certamente um dos maiores inventores de todos os tempos, quando jovem seus professores reclamavam que ele era lento e duro demais para aprender. De tanto reclamarem de seu filho a mãe de Thomas Edison decidiu tirar o filho da escola e ensiná-lo em casa. Com 10 anos ele já havia montado seu primeiro laboratório. Antes de chegar ao final da invenção da lâmpada elétrica tentou por mais de 2000 vezes.

Poderia dar mais algumas dezenas de exemplos de pessoas comuns como você e eu que encontram diversas pedras no caminho mas ousaram seguir em frente rumo ao sucesso.

Portanto, desista de desistir! A vida não é e nunca será um mar de rosas o tempo todo. Muitos profetizarão o seu fracasso, muitos terão como projeto de vida acabar com os seus sonhos, muitos tentarão fazer com que você permaneça parado. Mas eu insisto, continue, vá em frente, tente outra vez! Desista de desistir!

*Éber Sander autor dos livros “Perguntas Indiscretas” e “Eu morri faz tempo”

1 Comentário

Filed under 1

Harriette Thompson: uma jovem guerreira

Competitor Group/Divulgação

Harriette Thompson: uma jovem guerreira

*Éber Sander

Talvez você não a conheça, talvez você nunca leu ou ouviu sobre Harriette Thompson, mas esteja certo de uma coisa, ela é uma jovem guerreira.

A primeira vez que Harriette Thompson correu foi com o propósito de arrecadar fundos para combater a leucemia e linfoma. A causa era nobre e ela não poderia ficar de fora. E não ficou. Desde então ela já arrecadou cerca de U$$ 100 mil para a nobre causa.

A última façanha da corredora foi cruzar a linha de chegada da Rock ‘n’ Roll Marathon, em San Diego, na Califórnia (EUA), com o tempo de 7h24m36s. Essa foi a sua 16ª participação na maratona.

Certamente você sabe que uma maratona tem a distância de 42km e foi exatamente essa a distância percorrida por Harriette Thompson sem fraquejar em nenhum momento.

No dia 31 de maio de 2015 aos 92 anos e 65 dias de idade, Harriette Thompson tornou-se a maratonista mais idosa do mundo.

Daí então você questiona o porquê do título que dei a ela de “Jovem Guerreira”. Harriette Thompson é uma pessoa idosa e não uma pessoa velha.

Uma pessoa velha é aquela que não tem propósito na vida, uma pessoa velha é aquela que passa os dias resmungando, uma pessoa velha é aquela que ao invés de acender uma vela insiste em amaldiçoar a escuridão, uma pessoa velha é aquela que fica em casa reclamando de todos enquanto assiste o noticiário violento na TV. Uma pessoa velha é pessimista e enxerga sempre o pior em todas as situações cotidianas.

Uma pessoa jovem é proativa, uma pessoa jovem é confiante em si mesmo e nos outros, uma pessoa jovem tem uma causa a defender, uma pessoa jovem é altruísta, benevolente, tem empatia e está disposta a tirar da vida o melhor que ela tem a oferecer, uma pessoa jovem não desiste nunca!

Nossa guerreira Harriette Thompson é uma pessoa idosa e não velha! Harriette Thompson é uma jovem guerreira!

Portanto, responda à você mesmo: Você é jovem (ainda que seja idoso) ou é uma pessoa velha (ainda que tenha pouca idade)?

*Éber Sander autor dos livros “Perguntas Indiscretas” e “Eu morri faz tempo”

Deixe um comentário

Filed under 1

O que você tem oferecido?

O que você tem oferecido?

*Éber Sander

Certamente você já assistiu um filme de Bruce Lee ou talvez já tenha lido sobre ele. Certamente você sabe que quando se fala em artes marciais o nome de Lee é o primeiro a ser lembrado.

Os filmes de artes marciais são contados antes e depois de Bruce Lee dada a sua importância e relevância no tema.

Recentemente foi divulgada uma carta de Lee quando ele tinha 28 anos. A carta cujo título é “Minha meta principal” diz exatamente o seguinte: “Eu, Bruce Lee, serei o super star oriental mais bem pago dos Estados Unidos. Em troca, eu farei as mais emocionantes performances, sendo um ator da mais alta qualidade. A partir do ano de 1970 vou alcançar fama mundial, a partir de então, até o final de 1980 eu vou ter na minha posse U$$ 10.0000,00 Eu vou viver do jeito que eu quiser e conseguir a harmonia interior e a alegria”.

Exatamente um ano depois, Bruce Lee era o ator oriental mais bem pago dos Estados Unidos e sua fama era mundial.

O que realmente nos importa é entendermos o quão comprometido e engajado Bruce Lee estava em ser o “ator da mais alta qualidade” e em fazer as “mais emocionantes performances”.

Naquela época Bruce Lee tomou a firme decisão de ser o melhor! Tomou a firme decisão de não ser mais um ator no mar de atores da época.

Bruce Lee tinha a noção exata do que deveria ser/fazer para ganhar fama mundial, autonomia financeira e conquistar a tão sonhada harmonia interior e alegria. Lee sabia que não seria fácil, que não seria da noite para o dia, porém, estava comprometido de corpo e alma a ser o melhor.

Daí então eu lhe pergunto e a resposta interessa mais a você do que a mim: Qual a sua meta principal? Onde quer estar daqui a 5 anos? E daqui a 10 anos? O que você tem para oferecer em troca? Você tem oferecido o seu melhor?

É preciso muito cuidado se você não sabe exatamente aonde quer chegar. Se não tem a exata noção de aonde quer chegar, esteja certo de que qualquer lugar serve e qualquer lugar não é um bom lugar!

Portanto, faça a sua carta como fez Bruce Lee e de o seu melhor como também deu Bruce Lee. Não seja um medíocre, seja o melhor!

*Éber Sander autor dos livros “Perguntas Indiscretas” e “Eu morri faz tempo”

Deixe um comentário

Filed under 1