Tag Archives: senado

Que país é esse…

…que consegue juntar 4 milhões de pessoas na Parada Gay, 5 milhões de pessoas na Marcha Evangélica e não consegue juntar 10 mil pessoas para protestar contra a corrupção?

Alguma coisa há de errado com este pobre Brasil. Alguma coisa há de errado com o povo brasileiro.

#lamentável

 

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under 1

Eleições 2010 – por Éber Sander

Eleições 2010

*Éber Sander

Em outubro elegeremos além do presidente, senador e governador, deputados federais e estaduais.

Porém, com a quantidade de candidatos a federal e estadual em nossa cidade, sinto que não teremos nenhum representante. Infelizmente, diga-se de passagem.

Ao contrário do político/palhaço Tiririca que não sabe o papel de um deputado, é de suma importância que o eleitorado conheça o papel dos representantes do povo a nível estadual e federal, pois são eles que criam e votam as mais variadas leis que podem beneficiar ou prejudicar a população.

São os deputados também que brigam pela vinda de recursos para nossa cidade. Ficam as perguntas: O deputado (a) que você votou há quatro anos atrás foi eleito? Caso sim, o que ele fez de bom para a população indaiatubana? Não seria o momento de termos novos representantes? Será possível que candidatos “Ficha Suja” ganhem novamente as eleições? Você faz a análise da vida regressa dos candidatos? É certo votar em candidatos de fora da cidade?

Portanto, não faltam opções de voto para candidatos a federal e estadual para os eleitores de Indaiatuba. Resta saber se estes senhores estão comprometidos com a causa social, ou apenas com os seus próprios bolsos. Sinceramente, em muitos eu tenho minhas dúvidas. E o político/palhaço Tiririca errou ao afirmar que “Pior do que está não pode ficar”. Tenho absoluta certeza que pode, e pode muito.

*Éber Sander é autor do livro “Perguntas Indiscretas – e outros contos e crônicas”

www.ebersander.wordpress.com

Deixe um comentário

Filed under 1

Barrados pela Lei da Ficha Limpa

Todos os barrados pela Lei da Ficha Limpa

Veja abaixo todas as candidaturas que foram até agora indeferidas pela Justiça com base na Lei da Ficha Limpa, fique atento na hora de votar. Lembre-se: urna eletrônica não é privada!

Acre
Francisco Rodson dos Santos Souza (Pastor Rodson – PR), dep. federal
Francisco Vagner de Santana Amorim (Deda – PP), dep. estadual
Jairo Cassiano Barbosa (PDT), dep. federal
José Altamir Taumaturgo de Sá (PRP), dep. estadual
José Bestene (PP), deputado estadual
José Gadelha das Chagas (Zezinho Gadelha – PCdoB), dep. estadual
José Raimundo Barroso Bestene (PP), dep. estadual
Lourival Mustafá de Andrade (Serraria – PCdoB), dep. estadual
Romildo Magalhães da Silva (PSC), dep. estadual
Vilseu Ferreira da Silva (PP), dep. estadual

Alagoas
Alberto José Mendonça Cavalcante (Sextafeira – PSB), dep. estadual
Eduardo Macedo Holanda (Dudu Holanda – PMN), dep. estadual
Gilberto Gonçalves (PRTB), dep. estadual
João Beltrão (PRTB), dep. estadual
Neno da Laje (PRTB), a dep. estadual
Joaquim Brito (PT), a vice-governador
Ronaldo Lessa (PDT), governador

Amapá
Fran Soares do Nascimento Junior (PMDB), dep. estadual
José Luiz Nogueira de Sousa (PT), dep. estadual
Marta Magno Barroso (PSC), dep. estadual

Bahia
Itamar da Silva Rios (PTB), dep. estadual
Osmar Rodrigues Torres (PTdoB), dep. estadual

Ceará
Adler Primeiro Damasceno Girão (PR), candidato a deputado federal
Antonio Luiz de Araujo Menezes (PMDB), dep. federal
Antonio Marcelo Teixeira Souza (PR), dep. federal
Antonio Roque de Araújo (Sineval Roque) (PSB), dep. estadual
Cirilo Antonio Pimenta Lima (PSDB), dep. estadual
Eduardo Florentino Ribeiro (PSDC), dep. estadual
Eugenio Rabelo (PP), deputado federal
Felipe Aguiar Fonseca da Mota (PR), dep. estadual
Francisco Carlos Macedo Tavares (PSB), dep. estadual
Francisco das Chagas Rodrigues Alves (PSB), dep. estadual
Francisco Edilmo Barros Costa (PR), dep. estadual
Francisco Leite Guimarães Nunes (PMDB), dep. estadual
Francisco Rubens de Castro Maia Júnior (PV), dep. federal
Jesuíno Rodrigues de Sampaio Neto (PSDB), dep. estadual
José Evangelista Filho (PSDC), dep. estadual
José Gerardo Oliveira de Arruda Filho (Zé Gerardo) (PMDB), dep. federal
José João Alves Almeida (PTN), dep. estadual
José Ilário Gonçalves Marques (PT), dep. federal
José Wilson Alves Chaves (PP), dep. estadual
Luiz Ximenes Filho (DEM), dep. estadual
Manoel Salviano Sobrinho (PSDB), dep. federal
Maria Bethrose Fontenele Araújo (PRP), dep. estadual
Perboyre Silva Diógenes (PSL), dep. estadual
Raimundo Marcelo Carvalho da Silva (PV), a governador
Ronaldo Cesar Feitosa Alexandrino Cidrão (PR), dep. estadual

Distrito Federal
Cristiano Araújo (PTB), dep. distrital
Joaquim Roriz (PSC), candidato a governador
Weber Magalhães (PSDB), dep. federal

Espírito Santo
Luiz Carlos Moreira (PMDB), deputado estadual
Marcelino Fraga (PMDB), deputado estadual
Roberto Valadão (PMDB), deputado estadual
Gilson Gomes (PSDC), dep. estadual
José Carlos Gratz (PSL), a senador
Vasco Alves de Oliveira Junior (PSB), dep. estadual

Goiás
Betinha Tejota (PSB), dep. estadual
Chico Abreu (PR), dep. federal
Dirceu Ferreira de Araújo (PSDB)
Fábio Tokarski (PCdoB), dep. federal
Malvina Maria da Silva (PT), dep. estadual
Marlúcio Pereira (PTB), dep. estadual

Mato Grosso
Gilmar Donizete Fabris (DEM), dep. estadual
Jaime Marques Gonçalves (DEM), dep. estadual
Oscar Martins Bezerra (PSB), dep. estadual
Pedro Henry (PP), deputado federal
Willian Tadeu Rodrigues Dias (PSDB/DEM e PTB), dep. Federal

Mato Grosso do Sul
Eder Moreira Brambilla (PTN), deputado estadual
José Tomaz da Silva (PHS), dep. federal
Isoli Paulo Fontoura (PV), deputado federal

Minas Gerais
Adicio Dias Soares (PTN), deputado federal
Alfredo Pastori Neto (PSL), deputado federal
Athos Avelino (PPS), deputado estadual
Carlinhos Bouzada (PCdoB), deputado estadual
Carlos Alberto Pereira (PDT), deputado federal
Eduardo dos Santos Porcino (PV), deputado estadual
Francelino Silva Santos (PTdoB), deputado estadual
José Fuscaldi Cesílio (Tatico) (PTB), deputado federal
Leonídio Henrique Correa Bouças (PMDB), deputado estadual
Maria Lúcia Mendonça (DEM), deputada estadual
Patrícia dos Santos Martins Rocha (PMN), deputada federal
Pinduca Ferreira (PP), deputado estadual
Ronaldo Canabrava (PMN), deputado estadual
Silas Brasileiro (PMDB), deputado federal
Wellington José Menezes Alves (PCdoB), deputado estadual
Wellington Magalhães (PMN), deputado estadual

Pará
Antônio Armando (PSDB), dep. estadual
Benedito Augusto Bandeira Ferreira (PMDB), dep. estadual
Delvani Balbino dos Santos (PMDB), dep. estadual
Emerson Ferreira Monsef (PMDB), dep. federal
Francisco Aguiar Silveira (PMDB), dep. estadual
Genivaldo Ribeiro Araújo (PPS), dep. estadual
José Fernandes de Barros (PRB), dep. federal
José Roberto da Costa Martins (PCdoB), dep. estadual
Luiz Afonso de Proença Sefer (PP), dep. estadual
Luiz Furtado Rebelo (PP), dep. estadual
Nadir da Silva Neves (PTB), dep. estadual
Roselito Soares da Silva (PR), dep. estadual

Paraíba
Abmael de Sousa Lacerda (PMDB), candidato a deputado estadual
Cássio Cunha Lima (PSDB), a senador
Francisco Edilson da Silva Ribeiro (PCB), dep. estadual
Jacó Maciel (PDT), dep. estadual
João Marques Estrela e Silva (PDT), dep. federal
José Belo da Costa Filho (PT), dep. estadual
José Carlos de Souza (PP), dep. estadual
Leomar Benício Maia (PTB), dep. estadual
Marcio Roberto da Silva (PMDB), dep. estadual
Osvaldo Venâncio dos Santos Filho (PSL), dep. estadual
Salomão Benevides Gadelha (PMDB), dep. estadual
Sebastião Alberto Cândido (PPS), dep. estadual

Paraná
Alessandro Meneguel (DEM), deputado estadual
Antônio Casemiro Belinati (PP), dep. estadual
Antônio Ricardo dos Santos (PP), dep. federal
Carlos Roberto Scarpelini (PP), dep. federal
Erivan Passos Da Silva (PRTB), deputado estadual
Luiz Pereira (Padre Luizinho – PSB), dep. estadual

Pernambuco
Charles Lucena (PTB), dep. federal
Malba Lucena (PTC), dep. estadual
Jacilda Urquisa (PMDB), deputada estadual

Piauí
José Maria da Silva Monção (PTB),  dep. estadual
José Roncalli de Costa Paulo (PSDB), dep. estadual
Judson Barros (PV), dep. estadual
Paulo Cesar Vilarinho Soares (PTB), dep. estadual
Pedro Henrique de Arêa Leão Costa (PTB), dep. estadual

Rio de Janeiro
Alexandre Mocaiber (PSB), deputado estadual
Arnaldo França Vianna (PDT), dep. federal
Benedito Wilton de Morais (Broder – PSB), dep. estadual (conseguiu liminar mas foi indeferido por falta de documentos)
Celso Alencar Ramos Jacob (PMDB), dep. federal
Darlei Braga (PMDB), deputado federal
Flávio Campos Ferreira (Dr. Flávio – PR), dep. estadual
Janilde Jesus Nonato Costa (PP), dep. estadual
José Bonifácio Ferreira Novellino (PDT), primeiro-suplente de senador
José Carlos Faria (PDT), dep. estadual
Narriman Felicidade Correa Faria Zito dos Santos (PRB), dep. estadual
Neilton Mulim (PR), deputado federal

Rio Grande do Sul

Adão Moacir Gegler (PTC)
Simone Janson Nejar (PTB)
Luiz Carlos dos Santos Olympio Mello (PSDB)
Reinaldo Antônio Nicola (PDT)
Luiz Carlos Repiso Riela (PTB)

Rondônia
Adilson Rodrigues Tulio (PPS), deputado estadual
Altamiro Souza da Silva (PMN), deputado estadual
Augustinho Pastore (PP), deputado federal
Carlinhos Camurça (PP), deputado estadual
Daniela Santana Amorim (PTB), deputada federal
Ernandes Amorim (PTB), deputado estadual
Expedito Junior (PSDB), a governador
Irandir Oliveira Souza (PMN), deputado estadual
Ivo Cassol (PP), senador
Jair Miotto (PPS), deputado estadual
João Ricardo Gerolomo de Mendonça (PTB), deputado estadual
José Carlos de Oliveira (Carlão de Oliveira) (PRB), deputado estadual
José Guedes (PMDB), deputado estadual
Joventino Ferreira Neto (PCdoB), deputado estadual
Marcos Donadon (PMDB), deputado estadual
Marlon Donadon (PRB), deputado estadual
Melkisedek Donadon (PHS), senador
Natan Donadon (PMDB), deputado federal
Oldemar Antônio Fortes (Gaúcho do Cujubim) (PT do B), deputado estadual
Ronilton Rodrigues Reis (Ronilton Capixaba) (PR), deputado. estadual
Samuel Marques dos Santos (PR), deputado federal
Sueli Aragão (PMDB), deputado estadual
Zulmira Senhora de Brito (PMDB), deputado estadual
Valdelise Martins dos Santos Ferreira (Val Ferreira) (PR), deputado federal

Santa Catarina
João Pizzolatti (PP), candidato a dep. federal
Marcos Aurélio Marcucci (PSDB), dep. estadual
Rogério Novaes (PV), governador
Sérgio Nercides de Oliveira (PMDB), dep. estadual

São Paulo
Leonice Alves da Paz (PDT), dep. estadual

Sergipe
José Renato Vieira Brandão (Renatinho – PMDB), dep. estadual
Rubens Oliveira Bastos (Rubens Exator – PTdoB), dep. estadual

Tocantins
Abraão Cavalcante Lima (PPS), candidato a deputado estadual

Deixe um comentário

Filed under 1

Votação final do Ficha Limpa é hoje

Segue abaixo mensagem da AVAAZ sobre a votação final do Ficha Limpa, na noite de hoje. Este assunto é mais importante para o país do que a lista com os jogadores brasileiros que vão à Copa do Mundo!

Caros amigos,

Estamos chegando nos momentos finais da Ficha Limpa – a votação é hoje à noite. A boa notícia é que políticos corruptos agora sabem que eles não podem vencer, a Ficha Limpa vai passar! Porém alguns estão investindo em uma última tentativa desesperada de enfraquecer o projeto de lei, introduzindo 9 emendas de última hora.

A pior delas retira crimes ambientais do projeto de lei, permitindo que políticos envolvidos na violação do direito ambiental possam permanecer no poder. Nessas últimas horas até a votação, vamos deixar claro que a população brasileira quer que a Ficha Limpa seja aprovada sem alterações e não iremos aceitar que meses e anos de esforço sejam esquecidos de última hora. Clique para enviar uma mensagem:

http://www.avaaz.org/po/obstaculo_final/?vl

A nossa campanha já é a maior e mais eficiente mobilização online do Brasil. Mas ainda não ganhamos. Alguns deputados estão contando com estes atrasos na votação para ganhar apoio para as emendas. Vamos mostrar que eles estão errados:

http://www.avaaz.org/po/obstaculo_final/?vl

 Com esperança,

Graziela, Ricken, Alice, Luis, Pascal, Paul, Iain e toda a equipe Avaaz

Deixe um comentário

Filed under 1

Votação das emendas do Ficha Limpa

Transcrevo abaixo na íntegra o texto do jornalista Josias de Sousa, publicado hoje (11) em seu blog. O texto discorre sobre a votação das emendas do projeto Ficha Limpa, vale a pena a leitura atenta:

 A Câmara retoma na noite desta terça a votação do projeto que limita a participação de candidatos com fichas sujas nas eleições.

 O texto principal foi aprovado na semana passada. Vão a voto agora as emendas que os deputados engancharam na proposta.

 Há doze emendas. A maior parte visa flexibilizar o texto, facilitando a vida dos políticos com problemas na Justiça.

Levadas a voto na semana passada, três emendas foram rejeitadas. Há nove penduricalhos por votar. Seis sugerem o abrandamento do projeto.

Um deles, de autoria do PP, carrega um refresco para os congressistas que integram a bancada ruralista. Coisa de 140 parlamentares.

Essa emenda propõe que sejam excluídos do rol de crimes que sujeitam os autores à inelegibilidade de oito anos os delitos contra o meio ambiente e a saúde pública.

Significa dizer que, se aprovada, a novidade vai autorizar as candidaturas de políticos condenados por desmatamento de florestas.

Há mais: na rabeira dessa mesma emenda, sugere-se a exclusão também os crimes praticados contra a saúde pública. Assim mesmo, bem abrangente.

Para que uma emenda seja aprovada, é preciso que pelo menos 257 deputados votem a favor. Será um teste para o prestígio dos ruralistas.

Noutra emenda, o PP propõe a exclusão do projeto ficha limpa do crime de abuso de autoridade.

O texto original, redigido pelo deputado José Eduardo Cardozo, já prevê exceções. Anota o seguinte:

 O crime de abuso de autoridade só impede a candidatura do infrator se a sentença determinar a “perda do cargo ou a inabilitação para o exercício de função pública”.

 Aprovada a emenda do PP, vai prevalecer uma espécie de liberou geral. As autoridades-candidatas poderão abusar à vontade.

 Deve-se ao PMDB a autoria de outra emenda de teor capcioso. Sugere que seja suprimida do texto já aprovado a expressão “proferida por órgão colegiado”.

 Tenta-se aqui, adicionar açúcar no refresco. Em sua versão original, o projeto de iniciativa popular proibia a candidatura de todos os políticos condenados.

No moedor de projetos da Câmara, eliminou-se o inconveniente das sentenças de primeiro grau, proferidas monocraticamente por juízes.

Ficou entendido que só ficarão só ficarão impedidos de ir às urnas os políticos condenados por “órgãos colegiados”. Vale dizer: tribunais de segunda instância.

Caindo a expressão “proferida por órgão colegiado”, como deseja o PMDB, volta-se ao pior cenário. Nem juiz nem colegiado.

O político só seria considerado efetivamente condenado depois que se chegasse a algo que os advogados chamam de “trânsito em julgado”.

No português das ruas: a ficha do sujeito só ficaria suja depois que fossem julgados todos os recursos que a legislação brasileira faculta aos réus.

Combinando-se os recursos à morosidade do Judiciário, um político pouco asseado pode desfrutar de uma carreira longeva –duas, três décadas.

Considerando-se que o STF, foro de julgamento de congressistas, ministros e presidentes jamais condenou ninguém, a carreira dos sujos pode durar uma vida.

Em sentido oposto, o PSDB apresentou emenda na qual sugere a volta à fórmula que viera das ruas: inabilitação dos candidatos condenados em primeiro grau.

De zero a dez, as chances de que algo assim seja aprovado é de menos 11.

A platéia deve se dar por satisfeita se o plenário da Câmara rejeitar a esperteza do PMDB, mantendo a condenação proibitiva no nível da segunda instância.

Seja qual for o resultado o resultado das votações, o projeto ainda terá de passar pelo crivo do Senado. As novas regras não valerão para a eleição de 2010. 

– Serviço: Aqui, uma lista das emendas pendentes de votação. Elaborou-a o MCCE (Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral).

Nota do blog: Fique atento ao voto do seu representante.

Deixe um comentário

Filed under 1

Artigo: A vez da mulher

A vez da mulher

*Éber Sander

Ainda não sei ao certo em quem votar para presidente nas eleições de outubro próximo. Sei apenas em quem não vou votar: em nenhum homem.

Pela primeira vez em sua história, o Brasil terá duas mulheres candidatas ao maior cargo público do país. É sem sombra de dúvidas algo a ser comemorado.

De um lado a fiel escudeira do presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) e do outro a também amiga e ex-ministra do meio ambiente; Dilma Rousseff e Marina Silva respectivamente.

Dilma Rousseff tem 63 anos, Marina Silva tem 52 anos. Uma está no PT, a outra é do PV.  Ambas tem histórias de dificuldades, lutas e conquistas assim como a maioria do povo brasileiro.

Estou decidido a não votar em nenhum candidato homem não somente por conta de suas posições políticas e seus históricos de governo, mas sim, pois penso que é chegada a hora de mostrarmos mais uma vez ao mundo, mas principalmente aos brasileiros, que estão com as mulheres às chaves para fazer do Brasil e do mundo um lugar melhor para se viver.

Poderia passar o dia escrevendo sobre a força, disciplina e garra das mulheres, mas não é necessário. Certamente você tem mãe, esposa, irmã, amiga e sabe muito bem do que elas são capazes de fazer.

É imprescindível levar toda doçura, elegância e competência para os altos cargos da política nacional.

Portanto, resta-me apenas escolher entre o vermelho ou o verde. Que vença a melhor!

*Éber Sander é escritor autor do livro Perguntas Indiscretas

www.ebersander.wordpress.com

1 Comentário

Filed under 1

Artigo: Melhores em quê?

Melhores em quê?

Éber Sander

Já que daqui para frente não se discutirá outro assunto a não ser a Copa do Mundo na África do Sul, vale a pena uma reflexão e análise mais profunda sobre os números de alguns dos países participantes desta copa.

Como exemplo para análise utilizaremos cinco países e três aspectos econômicos/sociais de cada um deles.

Os países escolhidos (não por acaso) são os chamados desenvolvidos, outrora chamados de 1º mundo, vejamos então: Suíça; Alemanha; EUA e Japão.

Os dados analisados foram: expectativa de vida, alfabetização e o índice de mortalidade infantil.

Na Suíça, a expectativa de vida é de 81,7 anos, a alfabetização atinge 99% da sua população e a mortalidade infantil é de apenas 4,1 a cada mil nascimentos.

Já na Alemanha, a expectativa de vida bate na casa dos 79,4 anos, 99% de sua população é alfabetizada e ocorrem 4,08 mortes infantil a cada mil nascimentos.

Nos EUA, a expectativa de vida gira em torno dos 78,2 anos, a alfabetização também é de 99% de sua população e ocorrem 6,3 mortes a cada mil nascimentos.

Estão no Japão os dados mais animadores dos países da Copa. A expectativa de vida em terras japonesas é de 82,6 anos, 99% de sua população é alfabetizada e ocorrem apenas 3,2 mortes a cada mil nascimentos.

Quando olhamos os dados do Brasil e comparamos com os países acima citados, levamos de goleada.

Em terras tupiniquins a expectativa de vida é de apenas 72,4 anos, temos somente 90% da população alfabetizada e o índice de mortalidade infantil no Brasil é assustador: 23,6 a cada mil nascimentos.

Portanto, fica muito claro que temos muito que aprender com as outras nações que vão à África do Sul. Que os políticos brasileiros e principalmente os eleitores possam olhar os números e refletir acerca do longo caminho que temos que percorrer para nos tornarmos um país desenvolvido. Aí sim, seremos campeões, por enquanto, estamos na lanterna do campeonato.

Éber Sander é escritor autor do livro Perguntas Indiscretas

www.ebersander.wordpress.com

4 comentários

Filed under 1